Vila Velha – Espírito Santo – Brasil

 

Vila Velha pertence à Região Metropolitana de Vitória e está situado 12 quilômetros ao sul da capital do estado.

Ocupa uma área de 210,067 quilômetros quadrados, sendo que 54,57 quilômetros quadrados estão em perímetro urbano, e a população em 2014 foi estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 465.690 habitantes, posicionando-se como o segundo mais populoso do Espírito Santo, atrás apenas da cidade de Serra.

A sede tem uma temperatura média anual de 24,7 °C, e na vegetação original do município predomina a mata atlântica, tendo atualmente alguns trechos de restinga.
Com 99,5% de seus habitantes vivendo na zona urbana, o município contava em 2009 com 163 estabelecimentos de saúde.
O seu Índice de Desenvolvimento Humano é de 0,8, considerando-se assim como muito elevado em relação à média brasileira, sendo o segundo maior de todo o estado.
O município foi fundado em 23 de maio de 1535 pelo português Vasco Fernandes Coutinho, donatário da Capitania do Espírito Santo, e foi sede desta até 1549, quando a capital foi transferida para Vitória.
Figura-se então como a cidade mais antiga do estado, possuindo várias construções históricas, como a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, o Forte de São Francisco Xavier de Piratininga, o Farol de Santa Luzia e o Convento da Penha, sendo este último um dos principais pontos turísticos do Espírito Santo, construído entre os séculos XVI e XVII e tombado como patrimônio histórico cultural pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1943.

 

História

No século XVI, quando os primeiros colonizadores portugueses chegaram à região da atual Vila Velha, a mesma era disputada por três grupos indígenas diferentes: os goitacás (procedentes do sul), os aimorés (procedentes do interior) e os tupiniquins (procedentes do norte). O donatário português da capitania do Espírito Santo, Vasco Fernandes Coutinho, chegou na atual Prainha (chamada, na época, pelos indígenas, de Piratininga), a bordo da caravela Glória, junto com 60 homens, em 23 de maio de 1535, fundando a então “Vila do Espírito Santo” (atual cidade de Vila Velha), assim chamada por ser domingo de pentecostes. A cidade passou a ser a capital da capitania.

Devido aos constantes ataques indígenas, franceses e holandeses à cidade fundada por Coutinho, os portugueses decidiram, em 1551, transferir a capital da capitania para a atual cidade de Vitória, na Ilha de Santo Antônio, na Baía de Vitória. Em 1558, chegou, à Prainha, frei Pedro Palácios, natural de Medina do Rio Seco, na Espanha. Alguns anos mais tarde, foi encarregado da construção de uma ermida no alto do morro da Penha. Palácios encomendou, de Lisboa, uma imagem de Nossa Senhora que daria origem ao culto a Nossa Senhora da Penha. A pequena ermida foi sendo erguida aos poucos até se transformar no Convento da Penha, hoje o monumento religioso mais importante da arquitetura capixaba.

Pouco se conhece sobre a história de Vila Velha do século XVI ao século XIX. Neste período, destacam-se o término da construção do Convento da Penha e, ainda, os ataques de holandeses contra as fazendas de açúcar, no século XVII. Sabe-se que a cidade pouco se desenvolveu durante este período, sendo que um relatório do governo da província registrou registrou 2 120 habitantes no lugar em 1827. O acesso à capital, Vitória, cidade que, ao contrário, da primeira cidade do Espírito Santo, encontrava-se em constante desenvolvimento, era bastante dificultado.
Continue lendo sobre nossa história no https://pt.wikipedia.org/wiki/Vila_Velha.

 

Região Metropolitana

O intenso processo de conurbação atualmente em curso na região vem criando uma metrópole cujo centro está na cidade de Vitória, atingindo ainda os municípios de Cariacica, Fundão, Guarapari, Serra e Viana, além de Vila Velha.
A Região Metropolitana de Vitória (RMV) foi criada pela lei complementar estadual nº 58, de 21 de fevereiro de 1995, e atualmente é a 14ª maior aglomeração urbana do Brasil, com mais de 1,68 milhões de habitantes.
É a região mais dinâmica no cenário econômico capixaba, sendo que é responsável por 58% da riqueza do estado e abriga 46% da população capixaba e 57% da população urbana do Espírito Santo.

 

Clima

O clima vila-velhense é caracterizado, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, como tropical quente super-úmido (tipo Aw segundo Köppen), tendo temperatura média anual de 24,7 °C com invernos secos e amenos e verões chuvosos com temperaturas elevadas. O mês mais quente, fevereiro, tem temperatura média de 27,4 °C, sendo a média máxima de 31,8 °C e 23,1 °C. E o mês mais frio, julho, de 22,1 °C, sendo 26,4 °C e 17,8 °C as médias máxima e mínima, respectivamente. Outono e primavera são estações de transição. São raros os episódios de frio extremo, sendo que a temperatura mínima registrada na cidade foi de 6 °C. Os ventos são constantes o ano todo, porém ocasionalmente o deslocamento de frentes frias provoca episódios de ventos mais fortes, com rajadas atingindo velocidades superiores a 70 km/h. Em 6 de maio de 2013, por exemplo, o rápido avanço de uma frente fria provocou um forte vendaval em Vila Velha e outras cidades do litoral capixaba, com rajadas de vento chegando aos 120 km/h, provocando queda de árvores e destelhamento de centenas de casas na cidade e deixando vários bairros vila-velhenses sem energia elétrica por várias horas em decorrência da queda de postes e danos em fios elétricos.

A precipitação média anual é de 1 253,8 mm, sendo agosto o mês mais seco, quando ocorrem apenas 44,6 mm. Em dezembro, o mês mais chuvoso, a média fica em 203,3 mm. Nos últimos anos, entretanto, os dias quentes e secos durante o inverno têm sido cada vez mais frequentes, não raro ultrapassando a marca dos 30 °C, especialmente entre julho e setembro. Em janeiro de 2010, por exemplo, a precipitação de chuva em Vila Velha não passou de 1,9 mm. Durante a época das secas e em longos veranicos em pleno período chuvoso também são comuns registros de queimadas em morros e matagais, principalmente na zona rural da cidade, o que contribui com o desmatamento e com o lançamento de poluentes na atmosfera, prejudicando ainda a qualidade do ar.

 

Economia

O Produto Interno Bruto de Vila Velha é o 81º maior de todo o Brasil. De acordo com dados do IBGE, relativos a 2010, o PIB do município era de R$ 6 978 690 mil.
1 168 138 mil eram de impostos sobre produtos líquidos de subsídios a preços correntes. O produto interno bruto per capita era de 16 839,6 reais.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a cidade possuía, no ano de 2010, 13 621 unidades locais e 13 198 empresas e estabelecimentos comerciais atuantes. 111 610 trabalhadores eram classificados como pessoal ocupado total e 94 617 categorizavam-se em pessoal ocupado assalariado. Salários juntamente com outras remunerações somavam 1 403 035 mil. reais e o salário médio mensal de todo município era de 2,3 salários mínimos. A agricultura, que serviu como sustento de Vila Velha por muito tempo, desde a época da fundação da cidade, perdeu força no decorrer do século XX, dando lugar ao comércio, ao turismo e à industria.

 

Cultura

A responsável pelo setor cultural de Vila Velha é a Secretaria de Cultura e Turismo do município, que tem como objetivo promover o turismo na cidade e planejar e executar a política cultural do município por meio da elaboração de programas, projetos e atividades que visem ao desenvolvimento cultural e a inclusão social. A Secretaria de Esportes e Lazer também é responsável por outras áreas (mais específicas) da cultura vila-velhense, tais como atividades de lazer e práticas desportivas. Visa ao apoio e incentivo ao esporte em Vila Velha e à criação e execução de ações dedicadas ao setor.

A instituição da Lei Vila Velha Cultura e Arte (lei 4 573, de 13 de novembro de 2007) fez com que fosse concedido apoio fiscal para a realização de projetos culturais que impliquem na divulgação das manifestações artísticas e culturais na cidade e na afirmação do processo e das estruturas de criação. Segundo a prefeitura, de 2009 a 2012 cerca de 200 projetos foram beneficiados com a Lei, dentre eles o lançamento de livros e CDs, organização de documentários, peças teatrais e filmes, atividades de artesanato e artes plásticas, entre outros.

 

Praias

Vila Velha conta com mais de 30 quilômetros de litoral, sendo as principais praias do município:

Barra do Jucu: É um pequeno balneário localizado a 15 quilômetros do centro vila-velhense. Antiga vila de pescadores, guarda até hoje as características de vila. Fica próxima à foz do Rio Jucu, onde nos fins de tarde a atração é a revoada das garças boiadeiras. Possui inúmeras praias, muito frequentadas por surfistas e adeptos ao esporte. No local acontecem campeonatos de surfe, alguns deles de nível nacional.
Praia da Barrinha: Situada à margem esquerda da foz do Rio Jucu, a 12 km do centro de Vila Velha. O acesso à praia é feito pela Ponte da Madalena, construída em 1896. Na foz do rio há grande movimento de pescadores.
Praia da Concha: São 70 metros de areia situados atrás do morro da Concha, também próxima à foz do Jucu. É mais utilizada para mergulho, uma vez que possui pouca formação de ondas.
Praia da Costa: É considerada como a mais movimentada da cidade e uma das mais conhecidas do Espírito Santo, estando cercada de edifícios de alto padrão e grande quantidade de restaurantes e hotéis. Está a menos de três quilômetros do centro de Vila Velha, e nela está instalado um sistema de iluminação que permite banhos e prática de esportes no período noturno.
Praia de Itaparica: Vizinha à Praia da Costa, é considerada uma continuação desta, porém com ondas mais propícias à prática do surfe. Também concentra uma maior quantidade de bares e quiosques em seu calçadão.
Praia de Itapoã: Outra continuação da Praia da Costa, porém com grande monitoramento de maio a setembro, época de reprodução das andorinhas-do-mars de bico amarelo e de bico vermelho, espécies típicas do local. Nela também disponibilizam-se barcos para passeios.
Praia de Piratininga: Situa-se próxima ao 38º Batalhão de Infantaria do Exército Brasileiro.
Balneário Ponta da Fruta: Composto por praias, lagoas de água doce e restaurantes, situado próximo à divisa com Guarapari. Surgiu como uma vila de pescadores, hoje havendo predomínio de pousadas e áreas de camping.
Prainha: Está situada entre o 38º Batalhão de Infantaria e a Escola de Aprendizes-Marinheiros do Espírito Santo, sendo o local onde foi declarada a fundação de Vila Velha, em 1535. Abriga um Terminal Aquaviário muito usado como atracadouro para barcos de pesca.
Praia do Ribeiro: São 200 metros de areia estão entre o Morro do Moreno e o Farol de Santa Luzia, sendo onde residiu o fidalgo português Vasco Fernandes Coutinho, primeiro donatário da Capitania do Espírito Santo. É utilizada para caminhadas, não sendo recomendado o uso para banhos.

 

Bairros do Município

Alecrim, Alvorada, Araçás, Argolas, Aribiri, Ataíde, Balneário Ponta da Fruta, Barra do Jucu, Barramares, Boa Vista I, Boa Vista II, Brisamar, Cavalieri, Centro, Chácara do Conde, Cidade da Barra, Cobi de Baixo, Cobi de Cima, Cobilândia, Cocal, Coqueiral de Itaparica, Cristóvão Colombo, Darly Santos, Divino Espírito Santo, Dom João Batista, Garoto, Glória, Guaranhuns, IBES, Ilha da Conceição, Ilha das Flores, Ilha dos Ayres, Ilha dos Bentos, Industrial, Interlagos, Itapuã, Jabaeté, Jaburuna, Jardim Asteca, Jardim Colorado, Jardim do Vale, Jardim Guadalajara, Jardim Guaranhuns, Jardim Marilândia, João Goulart, Jockey de Itaparica, Morada da Barra, Morada do Sol, Morro da Lagoa, Normília da Cunha, Nossa Senhora da Penha, Nova América, Nova Itaparica, Nova Ponta da Fruta, Novo México, Olaria, Paul, Pedra dos Búzios, Planalto, Pólo Empresarial Novo México, Ponta da Fruta, Pontal das Garças, Praia da Costa, Praia das Gaivotas, Praia de Itaparica, Praia dos Recifes, Primeiro de Maio, Residencial Coqueiral, Rio Marinho, Riviera da Barra, Sagrada Família, Santa Clara, Santa Inês, Santa Mônica, Santa Mônica, Popular, Santa Paula I, Santa Paula II, Santa Rita, Santos Dumont, São Conrado, São Torquato, Soteco, Terra Vermelha, Ulisses Guimarães, Vale Encantado, Vila Batista, Vila Garrido, Vila Guaranhuns, Vila Nova, Vinte e Três de Maio, Vista da Penha, Zumbi dos Palmares.

 

 

Venha conhecer a nossa Linda Cidade de Vila Velha.

 

 

Achei Vila Velha logo

 

 

Achei Espirito Santo Guia Comercial faça seu anuncio